Segunda-feira, 18 de Julho de 2011

Rebelo de Sousa recomenda "Almas da Magdalena" na TVI 24

http://www.tvi24.iol.pt/videos/video/13458655/1

 

 

 

Sentimo-nos: almas
Música: da Madalena
Publicado por AG às 11:45
Ligação da entrada | Comentem | Adicionem aos favoritos
|  O que é? | Partilhári
Comentário(s):
De olivencalivre a 19 de Julho de 2011 às 16:15
POESIA EM DÉCIMAS

(POESIA EM DÉCIMA: para quem não sabe, estilo de poesia alentejana em que há um Mote e um desenvolvimento em estâncias de dez versos em que o último vai reproduzindo cada um dos versoa do Mote, pela sua ordem)

LUSOFONIAS EM OLIVENÇA (2010 e 2011)

Mote:
Olivença está em Festa,
decorrem as Lusofonias,
tempo em que se manifesta
Alma Lusa nos nossos dias!!!

1
É um regresso à Tradição
O que na "Vila"(*) agora se faz
E que mostra ser ela capaz
De ter Portugal no coração,
E não só como encenação!
Mesmo sendo mostra modesta
Mostra-se em flor com'a Giesta,
Floresce com contentamento,
É bem sentido o momento,
OLIVENÇA ESTÁ EM FESTA!!!

2
Entre pavilhões na "Carreira"(**)
Circula o povo no passeio
E não é só lá no meio
Que decorre uma tal Feira
Sempre aberta a quem o queira!
Está-se em boas companhias
E sucedem-se as alegrias;
Não há com que s'enganar
Qualquer confusão não tem lugar,
DECORREM AS LUSOFONIAS!

3
Pelas ruas ouvem-se os bombos
E as cantigas populares;
Chegam os sons a muitos lares
É o Grupo dos Gigabombos (***)
Ao som do qual fogem os pombos!
Não há tempo nem para a sesta
Pois não há Festa como esta!
É cultura como motivo
É Portugal qu'inda está vivo
TEMPO EM QUE SE MANIFESTA!

4
Por um dia ou dois, o qu'importa
(E sem quaisquer subterfúgios
Ou doutros motivos refúgio)
Abrir sem temer uma porta
"Prá"(****) cultura que não está morta!
Não há espaço para fobias
Nem para especulações sombrias;
Mas é um tempo em que também
Olivença mostra qu'inda tem
ALMA LUSA NOS NOSSOS DIAS!

Estremoz, 19 de Julho de 2011
Carlos Eduardo da Cruz Luna

(*) Vila=nome popular que se dá à cidade de Olivença
(**)Carreira=nome por que continua a ser designada a principal rua de Olivença (Ramón y Cajal)
(***)Gigabombos=grupo de Évora que toca intrumentos como tambores e bombos
(****)"Prá"=para e; pronúncia vulgar; comum em poesia
De olivencalivre a 19 de Julho de 2011 às 20:18
SEGUNDA POESIA DO DIA (É OUTRA!!!!)


OUTRA POESIA EM DÉCIMA! A SEGUNDA DE HOJE! ESTAREI COM SORTE?
POESIA EM DÉCIMAS
O TERMO DE OLIVENÇA
(POESIA EM DÉCIMA: para quem não sabe, estilo de poesia alentejana em
que há um Mote e um desenvolvimento em estâncias de dez versos em que
o último vai reproduzindo cada um dos versos do Mote, pela sua ordem)

O TERMO DE OLIVENÇA

Mote
Olivença é uma cidade
Com muita beleza "p'ra" se ver
Tem aldeias com muita idade
Mas também novas "p'ra" conhecer

1
Terão sido as Oliveiras
Que a Olivença deram nome;
Agora, quem dela se assome
Verá casas e sementeiras
Muros caiados e roseiras.
Cresceu nela modernidade
Sem s'esquecer da sua idade:
Do pequeno se faz o grande,
Toda a semente se expande,
OLIVENÇA É UMA CIDADE!

2
Teve época de grande glória,
Foi capital dum Bispado (*),
Com Catedral como legado:
Grandiosa dedicatória
A era ilustre da História!|
Os tempos a fizeram perder
O peso que merecia ter,
Mas nunca caíu na descrença
Porque assim é Olivença
COM MUITA BELEZA "P'RA" DE VER!

3
Monumentos tem às dezenas
Esta cidade sem igual:
Casas de tipo senhorial
E casas do povo apenas
(e, neste caso, às centenas!);
E não se caia na maldade
De esquecer a outra metade:
Pelos campos à sua volta
Como se fossem sua escolta
TEM ALDEIAS COM MUITA IDADE!

4
São Domingos e Vila Real,
Táliga, que é vila agora,
São Jorge, que não foi embora,
São Bento; tudo isto afinal
Partes de um todo inicial!
Mas ainda há mais "p'ra" percorrer:
São Francisco, não é para esquecer,
Nem São Rafael, tão airosas;
Aldeias, não há só idosas,
MAS TAMBÉM NOVAS "P'RA" CONHECER!!

Estremoz, 19 de Julho de 2011
Carlos Eduardo da Cruz Luna


(*) Olivença foi sede do Bispado de Ceuta no século XVI, sendo
construída nela, por isso, a Igreja/Catedral manuelina de Santa Maria
Madalena
De olivencalivre a 23 de Julho de 2011 às 15:34
AINDA OUTRA POESIA EM DÉCIMA!

RECUPERAR O PASSADO

.(POESIA EM DÉCIMA: para quem não sabe, estilo de poesia alentejana em
que há um Mote e um desenvolvimento em estâncias de dez versos em que
o último vai reproduzindo cada um dos versos do Mote, pela sua ordem).


RECUPERAR O PASSADO
Mote:
Olivença, clamor aflito
Pela cultura que se perdeu!
Dê-se ouvidos ao teu grito
"Pra" salvar o "qu'inda" não morreu!!!

1
Houve heróis na tua História,
Ignorados nos compêndios,
Consumidos em incêndios, (*)
Pois, para alguns, eram escória,
E não convinham à memória!
Mas o que não estava escrito
Ficou firmemente inscrito
No coração da tua gente,
E renasce em tempo presente,
OLIVENÇA, CLAMOR AFLITO!!

2
Não se destruíu a tu'alma
Porque uma cultura não morree
Enquanto nas veias corre
Uma insatisfação calma
Qu'uma repressão não acalma!
Afinal, o que aconteceu
E que quase ninguém entendeu
Foi um alento (**)muito teimoso
Que luta agora, audacioso,
PELA CULTURA QUE SE PERDEU!!

3
Não se destroça o sentimento
Com aldrabices piedosas
E com Histórias mentirosas,
Pois sempre virá o momento
De destoar um argumento!
Não se deseja um conflito
Nem criar motivo d'atrito;
Mas, agora, é tempo de mudar,
E de toda a verdade contar!
DÊ-SE OUVIDOS AO TEU GRITO!!!

4
De política, não se diga
Mais do que o necessário
(Sem esqueletos no armário),
Pois não se quer uma briga,
Mas, antes, atitude amiga!
Olivença não enlouqueceu,
Mas só quer voltar a chamar seu
Aquilo que lhe foi tirado;
Recuperar o seu passado
"P'RA" SALVAR O "QU'INDA" NÃO MORREU!!!

Estremoz, 22 de Julho de 2011
Carlos Eduardo da Cruz Luna

(*)Referência à queima de arquivos no século XIX.
(**) Referência ao nascimeto do "Além Guadiana" em 2008

Comentem entrada

.Hora solar de Olivença

.Procurem neste blógui

 

.Que horas são?

Hora oficial:

.Contadôri


contador de visitas

.Entradas recentes

. "Ruas e aldeias de Oliven...

. Ruas bilingues em Táliga?

. Nacionalidades também em ...

. Mirandês na escola (2017)

. Olivença e a Raia na TVE ...

. Limpeza da ermida de Noss...

. Língua quíchua, mais ensi...

. O asturiano em 2017

. Pastor (Ánchel Lois Salud...

. Português cristang ou cri...

.Arquivos

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Palavras-chave

. todas as tags

.Ligações

.Dicionário galego-português

Pesquisa no e-Estraviz

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.Participem

. Participem neste blógui

.Contadôri

.subscrever feeds