Segunda-feira, 22 de Outubro de 2012

Lusofonias 2012, atos (II)

Palavras de Raquel Sandes

 

Caras oliventinas, caros oliventinos,

 

Estimadas oliventinas, estimados oliventinos,

 

Mais uma vez, e pelo terceiro ano consecutivo, Olivença acolhe as “Lusofonias”, um espaço cultural dedicado ao âmbito da língua e da cultura portuguesas.

 

Una vez más, y por tercer año consecutivo, Olivenza acoge “Lusofonías”, espacio cultural dedicado al ámbito de la lengua y cultura portuguesas.

 

As Lusofonias nasceram com uma ideia clara: converter-se todos os anos num espalho da singular identidade da nossa terra. Uma maneira de lembrar quais as nossas origens, a nossa herança e o nosso compromisso com a salvaguarda de um património único na península Ibérica.

 

Lusofonías nació con una idea clara: convertirse cada año en un espejo de la singular identidad de nuestra tierra. Una manera de recordar cuáles son nuestros orígenes, nuestra herencia y nuestro compromiso con la salvaguarda de un patrimonio que es único en la península ibérica.

 

Mas também é uma maneira de ajudar a romper as barreiras, por vezes invisíveis, que durante muito tempo nos foram afastando culturalmente de Portugal.

 

Pero también una manera de ayudar a romper las barreras, a veces invisibles, que durante tanto tiempo nos han ido alejando culturalmente de Portugal.

 

Nós, oliventinos, estamos perfeitamente informados da realidade informativa espanhola, das notícias e dos casos quotidianos que acontecem em Madrid, Barcelona ou Badajoz; cantarolamos as canções dos conjuntos musicais de referência; conhecemos a sua história e celebramos os seus grandes feitos; relacionamo-nos com naturalidade com amigos das localidades deste lado; e, ao caminhar pelas nossas ruas e praças, só ouvimos uma língua, viva e dinâmica, nos nossos bares, praças e casas.

 

Los oliventinos estamos perfectamente informados de la realidad informativa española, de las noticias y sucesos cotidianos que tienen lugar en Madrid, Barcelona o Badajoz; tarareamos las canciones de los grupos musicales de referencia; conocemos su historia y celebramos sus grandes hechos; nos relacionamos con naturalidad con amigos de localidades de este lado; y, cuando caminamos por nuestras calles y plazas, solo se escucha una lengua, viva y dinámica, en nuestros bares, plazas y hogares.

 

Mas o que sabemos da história, da sociedade e da cultura da nossa outra metade da laranja, a que existe do outro lado do Guadiana? Verdadeiramente podemos ostentar a expressão “terra de duas culturas”? Quer ela dizer que existe uma cultura do passado, portuguesa, e outra do presente e do futuro, a espanhola? Ou, pelo contrário, temos vontade que essa herança linguística e cultural nos acompanhe no nosso dia a dia, construindo um modelo bicultural real?

 

Pero ¿qué sabemos de la historia, la sociedad y la cultura de nuestra otra media naranja, la que existe al otro lado del Guadiana? ¿De verdad podemos airear sin complejos la expresión “tierra de dos culturas”? ¿Quiere esa expresión decir que existe una cultura de pasado, portuguesa, y otra de presente y futuro, la española? O, por el contrario, ¿tenemos la voluntad de que esa herencia lingüística y cultural nos acompañe en nuestro día a día, construyendo un modelo de biculturalidad real?

 

Num mundo cada vez mais globalizado, é fundamental para cada terra saber preservar a essência do que a caracteriza e lhe outorga identidade, conservando assim a riqueza e a diversidade cultural. E o que faz de Olivença um lugar diferente é muito.

 

En un mundo cada vez más globalizado, es fundamental que cada territorio sepa preservar la esencia de aquello que le caracteriza y le otorga identidad, conservando así la riqueza y diversidad cultural. Y es mucho lo que hace de Olivenza un lugar diferente.

 

Nestas Lusofonias vamos ter teatro, língua e literatura, música, animação de rua... Mas gostaríamos de salientar particularmente o valor simbólico de um ato que reivindica a pertença da nossa terra ao espaço lusófono, que vai além de Portugal e que se estende até lugares como o Brasil, Cabo Verde ou a Galiza.

 

En estas Lusofonías tendremos teatro, lengua y literatura, música, animación de calle. Pero nos gustaría destacar especialmente el valor simbólico de un evento que reivindica la pertenencia de nuestra tierra al espacio lusófono, que va más allá de Portugal y que encontramos en lugares como el Brasil, Cabo Verde o Galicia.

 

As Lusofonias 2012 são organizadas em parceria com a associação Do Imaginário, de Évora, a quem agradecemos tão generosa implicação com Olivença e a quem outorgamos neste ano o título de “Padroeiros das Lusofonias 2012”. Também expressamos um sincero agradecimento ao apoio prestado pelo Gabinete de Iniciativas Transfronteiriças – Euroace, pela Câmara Municipal de Olivença e pelo Espacio para la Creación Joven, que fazem possível esta edição.

 

Lusofonías 2012 están organizadas en cooperación con la asociación Do Imaginário, de Évora, a quienes agradecemos su generosa implicación con Olivenza, otorgándoles este año el título de “Padroeiros de las Lusofonías 2012”. También expresamos nuestro sincero agradecimiento al apoyo prestado por el Gabinete de Iniciativas Transfronteiriças - Euroace, el Excmo. Ayuntamiento de Olivenza y el Espacio para la Creación Joven, que han hecho posible esta edición.

 

Encorajamos-vos a participar na leitura pública contínua em português. Não importa ler bem, mal ou regular; o relevante é mostrar a nossa vontade de assumir a língua portuguesa como própria e exprimir o nosso desejo de que o bilinguismo exista em Olivença.

 

Os animamos a participar en la lectura pública continuada en portugués. No os importe leer bien, mal o regular, lo relevante es mostrar nuestra voluntad de asumir la lengua portuguesa como propia y expresar nuestro deseo de que el bilingüismo sea una realidad en Olivenza.

 

Finalmente, o Além Guadiana insta os nossos representantes e cidadãos a apostar, decididos e com determinação, na nossa biculturalidade, que, além de ser a nossa marca de identidade, constitui uma das nossas potencialidades de futuro.

 

Por último, desde Além Guadiana animamos a nuestros representantes y a nuestra ciudadanía a apostar, decidida y sin complejos, por nuestra biculturalidad, que, además de ser nuestra seña de identidad, constituye uno de nuestros potenciales de futuro.

 

Obrigados.

Sentimo-nos: apresentados
Música: presente
Publicado por AG às 16:55
Ligação da entrada | Comentem | Adicionem aos favoritos
|  O que é? | Partilhári

.Hora solar de Olivença

.Procurem neste blógui

 

.Que horas são?

Hora oficial:

.Contadôri


contador de visitas

.Entradas recentes

. Olivença e a Raia na TVE ...

. Limpeza da ermida de Noss...

. Língua quíchua, mais ensi...

. O asturiano em 2017

. Pastor (Ánchel Lois Salud...

. Português cristang ou cri...

. Dia de Portugal em Oliven...

. Línguas americanas na Amé...

. Volta a língua portuguesa...

. "Tinta verde" (Vitorino):...

.Arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Palavras-chave

. todas as tags

.Ligações

.Dicionário galego-português

Pesquisa no e-Estraviz

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
blogs SAPO

.Participem

. Participem neste blógui

.Contadôri

.subscrever feeds