Domingo, 16 de Dezembro de 2012

Bom Natal! [2012]

Feliz Noite do M'nino e Feliz Natáli!

http://pt.wikipedia.org/wiki/Natal
Sentimo-nos: natais
Música: natalícia
Palavras-chave: , ,
Publicado por AG às 09:46
Ligação da entrada | Comentem | Adicionem aos favoritos
|  O que é? | Partilhári
Comentário(s):
De olivencalivre a 24 de Dezembro de 2012 às 19:34
Ary dos Santos/////// "NATAL - É quando um homem quiser".

Tu que dormes a noite na calçada de relento
Numa cama de chuva com lençóis feitos de vento
Tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que dormes só no pesadelo do ciúme
Numa cama de raiva com lençóis feitos de lume
E sofres o Natal da solidão sem um queixume
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher

Tu que inventas ternura e brinquedos para dar
Tu que inventas bonecas e comboios de luar
E mentes ao teu filho por não os poderes comprar
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que vês na montra a tua fome que eu não sei
Fatias de tristeza em cada alegre bolo-rei
Pões um sabor amargo em cada doce que eu comprei
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher
De olivencalivre a 28 de Dezembro de 2012 às 19:22
OLIVENÇA, NÃO SEI

Não sei se consigo em verso dizer
toda a beleza que em ti me encanta,
mas conhecer-te deu-me tal prazer
que a mim próprio me espanta!!

É a tua luz ao entardecer?
(frase comum como já há tanta...)
Só digo não saber o que fazer
para não sentir um nó na garganta!!!

Mas não resisto. Faço um poema
mesmo só com palavras singelas
para dizer o que em ti me algema:

São os segredos nas tuas ruelas,
as gentes, de simpatia extrema
Olivença, tantas coisas belas!!!!!!

Estremoz, 28-Dezembro-2012
Carlos Euardo da Cruz Luna
De olivencalivre a 29 de Dezembro de 2012 às 13:40
SONETO
"OLIVENÇA, TANTA PAIXÃO"

Madalena, pedra encantada,
Porta Manuelina ardente
Santa Maria, sala quadrada,
Torre de Menagem imponente!

Obra de D. Dinis ocupada
por Museu assaz surpreendente;
Alentejo na traça bordada
P'las casas de quase toda a gente!!!

Porta do Calvário aberta
para campos onde se lavra pão,
ele mesmo uma descoberta...

Tudo isto (e mais) é a razão
porque Olivença sempre desperta
em cada um de nós tanta paixão!!!

Estremoz, 29 de Dezembro de 2012
Carlos Eduardo da Cruz Luna
De olivencalivre a 2 de Janeiro de 2013 às 15:19
OLIVENÇA, PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE

Olivença, cidade pequena,
jóia preciosa escondida,
da História grandiosa arena,
de grandes heroísmos guarida!

Monumentos, quase uma centena
se encontra em teu espaço erguida,
desde a torre que a todos acena
até à mais remota ermida!!!

Tanta riqueza em nossa presença
pede que se dê a tal cidade
uma merecida recompensa:

p'ra divulgar sua identidade
é urgente fazer de Olivença
"Património da Humanidade"!!

Estremoz, 2 de Janeiro de 2013
Carlos Eduardo da Cruz Luna
De olivencalivre a 7 de Janeiro de 2013 às 00:19
Soneto: UMA MULHER CHAMADA OLIVENÇA

Olivença é como mulher que se ama,
por quem o coração bate no peito;
de Olivença se espera e se reclama
que seja um ser quase que perfeito!!!

Em Olivença vislumbra-se a chama
que arde em destino de fado feito;
um amor que cada vez mais se inflama
quando a sua beleza produz efeito!!!

Olivença são muralhas, catedrais,
capelas, gentes, ruas e aldeias,
histórias escondidas, vivos vitrais...

Olivença livre de cadeias
com as suas memórias imortais
reveladas ao mundo sem peias!!!

Estremoz, 6 de Janeiro de 2013
Carlos Eduardo da Cruz Luna



Soneto

FUTURAS GERAÇÕES (DE OLIVENÇA)

Olivença, cidade gloriosa,
repleta de História escondida,
o que dentro de ti guardas, ciosa,
exige ser de todos conhecida!!

São heróis que te fizeram famosa,
narrativas que te trazem vestida
duma lendária e misteriosa
capa de magia bem colorida!!

Segredos em velhos arruamentos,
súplicas e lamentos em orações
velhas crenças, dúvidas, e lamentos!

Tantas dúvidas e interrogações
que desejas transformar em intentos
de algo trazer às futuras gerações...

Estremoz, 6 de Janeiro de 2013
Carlos Eduardo da Cruz Luna
De olivencalivre a 8 de Janeiro de 2013 às 00:46
Soneto: CANTAR-TE-EI , OLIVENÇA

Não sei que mais dizer a teu respeito
que por outros não tenha sido dito!
Mas, Olivença, bates no meu peito
com força de tamanho infinito...

Por isso nenhum poema já feito
esgotou em mim aquilo em qu' acredito:
que cantar-te tem em mim o efeito
de aliviar o meu coração aflito!

Não sei se em mim encontro engenho
p'ra continuar a cantar o que em ti
me faz pôr à mostra tudo o que tenho!

Só posso dizer que tudo o que senti
foi renovar-se em mim o empenho
de conhecer muito mais do que já vi!

Estremoz, 7 de Janeiro de 2013
Carlos Eduardo da Cruz Luna
De olivencalivre a 14 de Janeiro de 2013 às 18:57
Soneto: O PARQUE DOS PINTASSILGOS EM OLIVENÇA

Pintassilgo, um pássaro português
(que "jilguero" se chama em castelhano),
tem o seu nome em parque que se fez
em Olivença, lugar raiano...

O tempo passou, mas com intrepidez
ficou o nome, qual grito ufano,
qu'inda que mudado, uma e outra vez,
ficou assente por uso mundano!!!

Não se destroça a alma dum povo
com simples decretos ditatoriais
fingindo construir algo de novo...

Porque há afetos que são mesmo imortais,
não é possível fazer um renivo
sem respeitar os costumes ancestrais...

Estremoz, 14 de Janeiro de 2013
Carlos Eduardo da Cruz Luna
De olivencalivre a 31 de Janeiro de 2013 às 19:47
Soneto: BAIRRO DA FARRAPA (EM OLIVENÇA)

Bairro da Farrapa em Olivença,
por gente orgulhosa habitado,
Bairro de Povo por sua nascença
com trabalho duro alicerçado!

Em toda a "Vila" está tua presença!
O suor dos teus filhos derramado
em bem mais lugares do que se pensa
está por toda Olivença espalhado...

Em dias e noites de fero labor,
usando seus braços e em comunhão
operários te ergueram com amor.

Alguns, de longe, logo p'lo coração
se sentiram unidos no seu labor
à nova terra que lhes dava seu Pão!!

Estremoz, 31 de Janeiro de 2013
Carlos Eduardo da Cruz Luna
De olivencalivre a 25 de Abril de 2013 às 14:14
LINHAS DE ELVAS, 24 de Abril de 2013
(página 06)
OLIVENÇA
ALUNOS APRENDEM PASSADO
(fotografia com crianças sentadas no chão, em volta do Professor, no Museu de Olivença)
Na sexta-feira, dia 19 {Abril 2013], o director do Museu de Olivença, Miguel Ángel Vallecillo, realizou uma aula de Arqueologia Prática dirigida a um grupo de 60 alunos do Colégio "Sagrado Corazón" de Olivença.
Durante a actividade, os participantes puderam conhecer o nosso passado, desde o Calco lítico [SIC] até ao séc. XVI. Os alunos puderam, inclusive, apreciar com as próprias mãos os restos arqueológicos que, normalmente, estão sob custódia em vitrinas, desde uma pedra de moinho, flechas de sílex, baús funerários, facas, ídolos-placa, cerâmica e outras peças de grande interesse científico.

Comentem entrada

.Hora solar de Olivença

.Procurem neste blógui

 

.Que horas são?

Hora oficial:

.Contadôri


contador de visitas

.Entradas recentes

. Volta a língua portuguesa...

. "Tinta verde" (Vitorino):...

. Mais ruas bilingues em 20...

. Olivença através dos livr...

. Valenciano de Múrcia (201...

. 600 oliventinos portugues...

. Língua asturiana no ensin...

. Catalão e aragonês em Ara...

. Olivença na RTP ("Linha d...

. Cristina Branco

.Arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Palavras-chave

. todas as tags

.Ligações

.Dicionário galego-português

Pesquisa no e-Estraviz

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.Participem

. Participem neste blógui

.Contadôri

.subscrever feeds