Quinta-feira, 2 de Abril de 2009

Teremos ruas bilingues (espanhol-português)?

Veremos em Olivença [as] ruas em duas línguas? Temos aqui uns exemplos para que o pessoal fique animado... Reparem sempre qual é a primeira língua que aparece e qual a segunda.

 

Rua bilingüe (na fala galego-portuguesa e em espanhol) de São Martinho de Trevelho.

 

Rua de Miranda do Douro em mirandês e em português.

Rua de Perpinhã em francês e em catalão (e também com o nome antigo, igualmente em catalão).

Rua de Tolosa (Toulouse) em francês e em o(c)citano.

Rua de Pamplona (Navarra) em espanhol e em basco.

Rua de Macau em português e em chinês. Parece que agora, sendo Macau chinesa, a ordem é inversa, embora a língua portuguesa continue a ser oficial também.

Publicado por AG às 17:20
Ligação da entrada | Comentem | Adicionem aos favoritos
|  O que é? | Partilhári
Comentário(s):
De Toni a 3 de Abril de 2009 às 07:17
Escribo en español ya que mi portugués no es bueno. Pido disculpas.

No estoy de acuerdo que en San Martín de Trevejo se hable gallego. En gallego no existen las terminaciones en "i" ni en "u".
Claro es el ejemplo: "Calli San Peiru". Podría estar perfectamente ese letrero en cualquier pueblo de Asturias.
Hay estudios que dicen que la "fala" de la Sierra de Gata deriva del astur-leonés y además toda la zona perteneció al reino de León.
De AG a 2 de Dezembro de 2009 às 19:56
No es que la fala no tenga nada de castellano ni de asturleonés: tiene. Pero la romanística en general dice que es gallegoportugués. Otra cosa: el hecho de que la zona fuese del reino de León no quiere decir nada: también Galicia fue del reino de León y allí no se habla leonés, sino gallegoportuguês.
De AG a 3 de Abril de 2009 às 08:35
Se discute mucho. Yo creo, como muchos romanistas, que la fala de los Tres Lugares es gallego-portuguesa (similar al gallego-portugués de la(s) Beira(s) o al medieval galaico-portugués). Otros dicen lo más absurdo del mundo: que es el gallego españolizado de la Junta de Galicia. En fin...
De AG a 3 de Abril de 2009 às 08:38
Otra cosa: las terminaciones en -i o en -u son puramente ortográficas. En Olivenza existen, aunque en portugués estándar siempre se escriban como -e y como -o.
De Tiu Cancho a 24 de Abril de 2009 às 22:28
Pi cuandu un cartu dessus en estremeñu? Pa cuando sedrá el portugués oficial en Estremaura o, polo menus, enos lugaris enos qu'entovia se palra?

Força, companheiros!
De Tiago a 19 de Março de 2010 às 02:58
Respondendo (tardiamente) ao "Tiu Cancho", eu arriscaria dizer que o português será oficial na Estremadura (espanhola) quando já não houver falantes nativos da língua em toda a região...
Quanto a Olivença, propriamente dita, se vier a aplicar-se a dupla toponímia (e o bilingüismo), já será mais por motivos externos do que endógenos (como vimos recentemente a própósito do "puxão d'orelhas do Conselho da Europa, em relação à não-protecção da língua autóctone daquela Vila...

Saudações Oliventinas!
De AG a 19 de Março de 2010 às 09:10
Opinião minha pessoal. O português oliventino já vai deixar de ter falantes "nativos" neste século (XXI), porque os seres humanos raramente vivem mais de 120 anos. Fora disso, também há lusófonos noutros lugares da Estremadura esp . Mas pensa que será oficial? Para que? Como o irlandês na Irlanda, falado por quatro gatos pingados? Quanto à toponímia, é bem-vinda, seja qual for o motivo (porque cada um poderá ver satisfeitas as suas próprias razões). Todavia, se for oficial dalgum dia a língua portuguesa em Olivença, seria uma notícia boa (muito boa com falantes ou pouco boa sem eles, mas boa). Obrigado. Manuel Sánchez .

Comentem entrada

.Hora solar de Olivença

.Procurem neste blógui

 

.Que horas são?

Hora oficial:

.Contadôri


contador de visitas

.Entradas recentes

. Língua quíchua, mais ensi...

. O asturiano em 2017

. Pastor (Ánchel Lois Salud...

. Português cristang ou cri...

. Dia de Portugal em Oliven...

. Línguas americanas na Amé...

. Volta a língua portuguesa...

. "Tinta verde" (Vitorino):...

. Mais ruas bilingues em 20...

. Olivença através dos livr...

.Arquivos

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Palavras-chave

. todas as tags

.Ligações

.Dicionário galego-português

Pesquisa no e-Estraviz

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.Participem

. Participem neste blógui

.Contadôri

.subscrever feeds