Segunda-feira, 23 de Novembro de 2009

Um oliventino no Brasil

Un oliventino en el Brasil

 
Tarciso Couceiro, un amigo del Brasil descendiente de un oliventino del siglo XVIII, ha ofrecido a Além Guadiana información sobre ese antepasado oliventino, cuyo apellido ha heredado.

Brasão dos Couceiro.

 

El teniente coronel José de Souza Couceiro, natural de Olivenza, llega al Brasil a principios del siglo XVIII. Casa en Recife con Josefa de Sousa, recifense. En el año 1733, el rey Juan V de Portugal lo nombra capitán de la ciudad de Olinda y de la villa de Recife.

 
Fueron numerosos los oliventinos que, desde el siglo XV, participaron en la aventura ultramarina de Portugal: Goa, Calcuta, el Brasil, el Japón, etc. La participación de algunos oliventinos en las colonias portuguesas está documentada, aunque no es demasiado conocida. En otros casos, como en el de José de Souza Couceiro, sus nombres se han perdido en el tiempo; sólo el afán de sus descendientes por conocer sus orígenes nos ha permitido descubrir la historia perdida de un oliventino.

 

Gracias, Tarciso.

 
Além Guadiana

 

 

 

 


Um oliventino no Brasil

 
Tarciso Couceiro, um amigo do Brasil descendente de um oliventino do século XVIII, ofereceu ao Além Guadiana informação sobre esse antepassado oliventino, cujo apelido (sobrenome lá) herdou.

 
O tenente-coronel José de Souza Couceiro, natural de Olivença, chega ao Brasil a princípios do século XVIII. Casa em Recife com Josefa de Sousa, recifense. No ano de 1733, el-rei D. João V de Portugal nomeia-o capitão da cidade de Olinda e da vila de Recife.
 
Foram numerosos os oliventinos que, desde o século XV participaram na aventura ultramarina de Portugal: Goa, Calcutá, o Brasil, o Japão, etc. A participação dalguns oliventinos nas colónias portuguesas está documentada, embora não seja demasiado conhecida. Noutros casos, como no de José de Souza Couceiro, os seus nomes perderam-se no tempo; só o afã dos seus descendentes por conhecer a suas origens permitiu-nos descobrir a história perdida de um oliventino.

 

Obrigados, Tarciso.

 
Além Guadiana

 

Retrato de Clarindo Couceiro.

 

Palavras do amigo Tarciso Couceiro sobre esta imagem, enviada por ele:

Meu bisavô Clarindo Couceiro (notem a pele morena e o pau das ventas curvo, comum aos moçárabes), descendente dos Couceiros de Olivença.

 

Mais informação, enviada pelo descendente Tarciso:

LEITURA DO ALVARA REAL

DOM JOAO V, POR GRACA DE DEUS, REI DE PORTUGAL

E DOS ALGARVES , DAQUEM E ALEM MAR E AFRICA.

SENHOR DE GUINE E DA CONQUISTA DA NAVEGACAO

......... CONCEDE  A ORDEM DE CAVALEIRO.DE JESUS CRISTO......POR SUA DIGNIDADE  .....................................................MORADOR  NA CAPITTANIA DE PERNAMBUCO...................................

 A JOSEPH DE SOUSA COUSEYRO ...SOB MINHA ESPADA

CAPELLA SANTA MARIA

LISBOA..02/12/1733

EL REY

 

 

NOTA: Algumas imagens que o amigo Couceiro mandou não se podem ver por problemas técnicos que vou tentar resolver.

Manuel Sánchez

 

Sentimo-nos: Irmão
Música: Forrô
Publicado por AG às 13:19
Ligação da entrada | Comentem | Adicionem aos favoritos
|  O que é? | Partilhári

.Hora solar de Olivença

.Procurem neste blógui

 

.Que horas são?

Hora oficial:

.Contadôri


contador de visitas

.Entradas recentes

. Atividades diversas de 20...

. A língua basca cresce em ...

. A fala (galegoportuguesa)...

. "O rei leão" em asturiano

. "Ruas e aldeias de Oliven...

. Ruas bilingues em Táliga?

. Nacionalidades também em ...

. Mirandês na escola (2017)

. Olivença e a Raia na TVE ...

. Limpeza da ermida de Noss...

.Arquivos

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Palavras-chave

. todas as tags

.Ligações

.Dicionário galego-português

Pesquisa no e-Estraviz

.Dezembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.Participem

. Participem neste blógui

.Contadôri

.subscrever feeds