Sexta-feira, 4 de Junho de 2010

Ruas oliventinas em português (VIII): na imprensa lusófona

SEMANÁRIO «SOL», 4 de junho de 2010

(edição impressa; informação com palavras do nosso presidente)

OLIVENÇA MAIS PERTO DE SER PORTUGUESA
(Fotografia dos dois nomes da Rua López de Ayala / Antiga Rua da Rala)

«Ruas passam a ter inscrições com nomes lusos»

EM OLIVENÇA, terra de fronteira na Extremadura espanhola, os habitantes mais velhos ainda conhecem as ruas pelos seus antigos nomes portugueses – denominações que revelam a herança lusa e que foram substituídas na primeira metade do Século XX. A Partir de 12 de Junho, a toponímia urbana da cidade vai revelar «essa outra cultura, desconhecida pelos mais jovens», desvenda Joaquín Fuentes, presidente da Associação Além Guadiana, mentora do projecto de recuperação dos nomes em português de 73 ruas, becos, calçadas e praças da cidade - alguns que vêm da Idade Média.


O Projecto, que foi apresentado ao município de Olivença há um ano, contempla a adição dos antigos nomes destas 73 ruas, becos, calçadas e praças da cidade aos actuais, «mantendo a mesma tipologia e estética nas placas», explica Joaquín Fuentes. É o caso da actual Plaza de España, que vai ter, por baixo desta indicação, "Terreiro Salgado". «No século XVI, esta praça ficava fora das muralhas da cidade e, durante a Inquisição, era ali que se faziam os autos-de-fé. Depois, atirava-se sal por todo o largo, num ritual de purificação», explica o Presidente da Além Guadiana.

A par das novas placas, vão ser distribuídas brochuras turísticas bilingues nos principais pontos turísticos, contextualizando cada nome.

UMA "JANELA" PARA O FUTURO
«Olivença é um lugar único, com duas culturas, com uma história que tem interpretações diferentes. Isto tem de ser promovido como um motivo de orgulho», acredita o Presidente da Além Guadiana. E é-o, para a maior parte da população. «Se um forasteiro chegar a Olivença e perguntar a alguém onde fica a Calle Victoriano Parra, um oliventino não saberá responder. Conhece-a por Ruas das Atafonas» (assim chamada porque era a zona onde existiam as atafonas, ou moinhos), explica Joaquín Fuentes. A questão, lamenta, é que os mais jovens começam a esquecer-se dessa herança portuguesa, ainda bem patente no património edificado.

 

Esta iniciativa da Associação, criada há dois anos para promover a unificação da identidade lusa e espanhola de Olivença, é um passo determinante. «As placas com as inscrições nas ruas funcionarão como uma "janela" para os jovens e visitantes conhecerem o passado da «villa». TAMBÉM PERTENCEMOS À LUSOFONIA», reivindica o oliventino.

Sónia Balesteiros

(informação fornecida aqui por C. Luna)

 

 

O COMUNICADO DO ALÉM GUADIANA É PUBLICADO NO:

(2 de junho de 2010, edição impresa)

http://4.bp.blogspot.com/_IMYZ9CLCBNo/TAUk8UuTjJI/AAAAAAAAAvI/bjd78eP1xUA/s1600/pagina1_181.jpg

 

E A NOTÍCIA, COM COMENTÁRIO (JÁ REFLETIDA NESTE BLOGUE), NO:

Na secção Na volta do correio (18:09, quinta-feira, 3 de Junho de 2010)

http://www.alentejopopular.pt/noticias.asp?id=4559 http://www.alentejopopular.pt/edicoes/348/capa.jp

 

(edição impressa)

5 de junho de 2010
CARTAS
OLIVENÇA RECUPERA AS SUAS RUAS
(...) Vale a pena saber-se que «a Câmara Municipal de Olivença começou a recuperar os antigos nomes em português das ruas da localidade. A
iniciativa parte da associação cultural Além Guadiana, que há um ano apresentou à Câmara e aos diferentes representantes políticos de
Olivença um projecto pormenorizado para a valorização da toponímia oliventina, com unânime aceitação. O projecto contempla a adição dos
antigos nomes das ruas aos actuais, mantendo a mesma tipologia e estética nas placas. Assim, resgatam-se as denominações das ruas, dos becos, das calçadas, etc., que configuram o extenso casco histórico encerrado nas muralhas abaluartadas, com um total de 73 localizações. Tudo irá acompanhado de um simbólico acto inaugural e da edição de brochuras turísticas bilingues. (...)

António Marques. ALMADA

http://aeiou.expresso.pt/

 

A mesma carta (completa), no (6 de junho de 2010) http://dn.sapo.pt/revistas/nm/ e no (28 de maio de 2010) http://port.pravda.ru/news/cplp/

 

E cortada n' (7 de junho de 2010)

http://jornalodiabo.blogspot.com/

JUNHO DE 2010

FLASH, página 064 (fotografia da Praça da Câmara, com as suas fontes)

TODOS OS NOMES

As autoridades municipais de Olivença começaram recentemente a recuperar os antigos nomes em Português das ruas daquela localidade de administração espanhola. [...]

Publicado por AG às 12:33
Ligação da entrada | Comentem | Adicionem aos favoritos
|  O que é? | Partilhári
Comentário(s):
De olivencalivre a 4 de Junho de 2010 às 22:22
NOMES DE RUAS


Alegres ruas de Olivença,/
do povo feliz agasalho,/
prósperas, como recompensa/
do teu suor e trabalho.//

Foi uma bem cruel sentença,/
e mui profundo enxovalho,/
tirar-lhes nomes de nascença/
e por-lhes outros a retalho.//

A memória era forte demais,/
e, apesar dos anos passados/
eles ainda estavam actuais!//

Vão ser, pois recuperados/
os belos nomes ancestrais/
criados pelos antepassados!//

Estremoz, 04 de Junho de 2010
Carlos Eduardo da Cruz Luna (em homenagem à notícia da recuperação dos velhos nomes
portugueses das ruas de Olivença)

Comentem entrada

.Hora solar de Olivença

.Procurem neste blógui

 

.Que horas são?

Hora oficial:

.Contadôri


contador de visitas

.Entradas recentes

. Mais ruas bilingues em 20...

. Olivença através dos livr...

. Valenciano de Múrcia (201...

. 600 oliventinos portugues...

. Língua asturiana no ensin...

. Catalão e aragonês em Ara...

. Olivença na RTP ("Linha d...

. Cristina Branco

. Prémio "Mais Alentejo" 20...

. Defesa das portas (setemb...

.Arquivos

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Palavras-chave

. todas as tags

.Ligações

.Dicionário galego-português

Pesquisa no e-Estraviz

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
blogs SAPO

.Participem

. Participem neste blógui

.Contadôri

.subscrever feeds