Segunda-feira, 14 de Junho de 2010

Lusofonias: sucesso e imagens

Sucesso na primeira edição das “Lusofonias”

 

No passado sábado, 12 de junho, Olivença acolheu a primeira edição das “Lusofonias”, evento que contou com uma excelente aceitação entre oliventinos e visitantes que fruíram deste espaço cultural dedicado ao mundo lusófono, quer dizer, ao âmbito da herança cultural e linguística portuguesa.

Teatro

 

Nas primeiras horas da manhã inaugurava-se o programa com a presença do presidente local, Manuel Cayado, da presidenta da Câmara Municipal de Táliga e deputada de Cultura, Inmaculada Bonilla, e o presidente da Junta da Estremadura, Guillermo Fernández Vara, bem como representantes de diversas instituições locais e da associação cultural Além Guadiana, organizadora das “Lusofonias”. O ato inaugural incluía a simbólica descoberta de uma das placas dos antigos nomes das ruas recém recuperados, nomeadamente a praça de Espanha, lugar da celebração, denominada no século XVI “Terreiro do Chão Salgado”.

 

Antigo Terreiro do Chão Salgado

 

Durante a manhã, as gaitas, os tambores e os gigantes e cabeçudos dos “Gigabombos do Imaginário” deram um caráter festivo às ruas e praças de Olivença antes de iniciar um dos atos mais emotivos, a Leitura Pública em Português, onde crianças, jovens e adultos leram de maneira contínua diversas obras em português, desde autores lusos como Saramago, Pessoa, Torga ou Camões até quadras populares oliventinas e obras de autores locais como Ventura Abrantes ou Caetano da Silva Souto-Maior, poeta oliventino do século XVIII conhecido como “o Camões do Rossio”.

 

O folclore teve o seu lugar com as atuações de Los Chaparritos de La Encina e das Cantadeiras de Granja antes das atividades da tarde, onde destacaram os sabores angolanos com o conta-contos “Estória da Galinha e do Ovo”, bem como as atuações dos alunos da escola “Francisco Ortiz” com canções em português, em torno aos quais se redemoinharam numerosas crianças com as suas famílias.

 

Paralelamente e ao longo de todo o dia, permaneceu aberta a zona expositiva com numerosos mostruários de artesanato, produtos gastronómicos e turismo de Portugal. O lugar converteu-se num agradável espaço onde fruir de atividades de teatro, animação de rua, literatura, cinema, música, gastronomia e artesanato.

 

Para o “Além Guadiana”, as “Lusofonias” pretendem não só valorizar as raízes portuguesas de Olivença, mas também aproximar as múltiplas e variadas manifestações dos países pertencentes ao âmbito lusófono, como Portugal, Moçambique, o Brasil ou o Cabo Verde, etc. A associação já planeia a segunda edição para o próximo ano.

 

 

Éxito en la primera edición de “Lusofonias”


El pasado sábado 12 de junio Olivenza acogía la primera edición de “Lusofonias”, evento que ha contado con excelente aceptación entre oliventinos y visitantes que han disfrutado de este espacio cultural dedicado al mundo lusófono, es decir, al ámbito de herencia cultural y lingüística portuguesa.

 

A primeras horas de la mañana se inauguraba el programa con la presencia del alcalde de la localidad, Manuel Cayado, la alcaldesa de Táliga y diputada de Cultura, Inmaculada Bonilla, y el presidente de la Junta de Extremadura, Guillermo Fernández Vara, así como representantes de diversas instituciones locales y de la asociación cultural Além Guadiana, organizadora de “Lusofonias”. El acto inaugural incluía el simbólico descubrimiento de uno de los rótulos de los antiguos nombres de las “ruas” recién recuperados, concretamente la Plaza de España, lugar de celebración del evento, denominada en el siglo XVI “Terreiro do Chão Salgado”.

 

Durante la mañana, las gaitas, los tambores y los gigantes y cabezudos de “Gigabombos do Imaginário” dieron carácter festivo a las calles y plazas de Olivenza antes de iniciarse uno de los actos más emotivos, la Lectura Pública en Portugués, donde niños, jóvenes y mayores leyeron de manera continuada diversas obras en portugués, desde autores lusos como Saramago, Pessoa, Torga o Camões hasta “quadras” populares oliventinas y obras de autores locales como Ventura Abrantes o Caetano da Silva Souto-Maior, poeta oliventino del siglo XVIII conocido como “Camões do Rossio”.

 

Leitura pública e contínua em português

 

El folclore tuvo su lugar con las actuaciones de Los Chaparritos de La Encina y las Cantadeiras de Granja antes de las actividades de la tarde, donde destacaron los sabores angoleños con el cuentacuentos “Estória da Galinha e do Ovo”, así como las actuaciones de los alumnos del Colegio “Francisco Ortiz” con canciones en portugués, en torno a los cuales se arremolinaron numerosos niños con sus familias.

Paralelamente y a lo largo de todo el día permaneció abierta el área expositiva con numerosos puestos de artesanía, productos gastronómicos y turismo de Portugal. El lugar se convirtió en un agradable espacio de disfrute de actividades de teatro, animación de calle, literatura, cine, música, gastronomía y artesanía.

 

Artesanato

 

Para “Além Guadiana”, “Lusofonías” pretende no sólo valorizar las raíces portuguesas de Olivenza, sino también acercar las múltiples y variadas manifestaciones de los países pertenecientes al ámbito lusófono, como Portugal, Mozambique, el Brasil o Cabo Verde, etc. Desde la asociación ya se plantea la segunda edición de este evento para próximo año.

 

NOTA:

Podem ver mais fotos aqui no blogue "A Bolotinha":

http://artesanatomeufati.blogspot.com/
Publicado por AG às 22:19
Ligação da entrada | Comentem | Adicionem aos favoritos
|  O que é? | Partilhári

.Hora solar de Olivença

.Procurem neste blógui

 

.Que horas são?

Hora oficial:

.Contadôri


contador de visitas

.Entradas recentes

. Cristina Branco

. Prémio "Mais Alentejo" 20...

. Defesa das portas (setemb...

. Um cadinho de fado (Joana...

. Ruas bilingues (mais imag...

. Os Acetre em Olivença pel...

. Ribeiro e Castro e Oliven...

. Nasce "Conexión Lusófona"...

. Portugal ganhou o Euro de...

. Mais sobre o dia de Portu...

.Arquivos

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.Palavras-chave

. todas as tags

.Ligações

.Dicionário galego-português

Pesquisa no e-Estraviz

.Dezembro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO

.Participem

. Participem neste blógui

.Contadôri

.subscrever feeds