Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

ALÉM GUADIANA

Associação Além Guadiana (língua e cultura portuguesas em Olivença): Antigo Terreiro de Santo António, 13. E-06100 OLIVENÇA (Badajoz) / alemguadiana@hotmail.com / alemguadiana.com

ALÉM GUADIANA

Associação Além Guadiana (língua e cultura portuguesas em Olivença): Antigo Terreiro de Santo António, 13. E-06100 OLIVENÇA (Badajoz) / alemguadiana@hotmail.com / alemguadiana.com

Contadôri

Flag Counter

O barranquenho, património nacional. O oliventino...

AG, 22.07.08

Barranquenho quer ser património nacional

20.7.2008
Bonita notícia. Parabéns oliventinos... e muita inveja, compadres!
Alentejo. Câmara já o classificou de interesse municipal

O dialecto é um misto peculiar de português com espanhol
 
Os barranquenhos, considerados "portugueses de manhã e espanhóis à noite", têm um "modo de falar" típico que a autarquia já declarou Património Imaterial de Interesse Municipal e quer tornar dialecto oficial e património nacional e da humanidade.
A classificação, aprovada na última reunião da Assembleia Municipal de Barrancos, vem "reconhecer e valorizar o barranquenho, um dialecto único e de valor incalculável para compreender a identidade de Barrancos e das suas gentes", defende o presidente da câmara, António Tereno.

O modo de falar barranquenho é a mais notória característica da identidade de um povo marcado por uma mistura de costumes e tradições dos dois lados da fronteira. Na vila raiana, lidam-se touros até à morte, cantam-se modas alentejanas e sevilhanas, comem-se açordas e tortilhas e ouve-se falar português (língua oficial), espanhol e um misto peculiar destas duas línguas, conhecido como "falar barranquenho".

A classificação do barranquenho como Património Imaterial de Interesse Municipal é uma das etapas do projecto do município de Barrancos, em parceria com os congéneres espanhóis de Cedilho e Herrera de Alcántara - na província de Cáceres e onde também se fala um dialecto misto -, e as universidades de Évora e da Extremadura espanhola. Uma comissão está a actualizar os estudos sobre a história, o vocabulário e a gramática do barranquenho, adiantou a vereadora da Cultura, Isabel Sabino. Depois, pretende-se "conseguir que [o barranquenho] seja reconhecido como dialecto", para ser ensinado na
escola básica integrada de Barrancos. LUSA