Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ALÉM GUADIANA

Associação Além Guadiana (língua e cultura portuguesas em Olivença): Antigo Terreiro de Santo António, 13. E-06100 OLIVENÇA (Badajoz) / alemguadiana@hotmail.com / alemguadiana.com

ALÉM GUADIANA

Associação Além Guadiana (língua e cultura portuguesas em Olivença): Antigo Terreiro de Santo António, 13. E-06100 OLIVENÇA (Badajoz) / alemguadiana@hotmail.com / alemguadiana.com

Contadôri

Flag Counter

Carta no "Notícias Magazine"

AG, 08.06.08

Revista NOTÍCIAS MAGAZINE, Supl. Grat. DOMINGO do Diário de Notícias 
e do Jornal de Notícias, 08 de Junho de 2008
Data:  Sun, 08 Jun 2008 14:11:59 +0100 [14:11:59 WEST]
De:  carlosluna@iol.pt
(isto significa que o texto está acessível a cerca de 60/70% dos consumidores de jornais em Portugal... dadas as grandes tiragens de Domingo...com as suas ofertas (CDs, e sabe-se lá que mais!)



ALEGRIAS E SURPRESAS DA LUSOFONIA

 

Casas de Olivença

AG, 07.06.08

A paisagem urbana de Olivença possui características especiais que fazem dela um caso único. O seu passado, partilhado entre Portugal e Espanha, deu-lhe uma fisionomia mestiça de grande riqueza. Caminhar pelas ruas da Olivença antiga pode converter-se num interessante jogo de procurar nas fachadas das casas o que pertence à arquitectura portuguesa ou espanhola.

 

Casinhas de lavradores, com as suas enormes chaminés alentejanas, casas nobres portuguesas com dintéis de mármore nas janelas e portais, fachadas de aspecto misturado, com janelas vestidas con grades até o mesmo chão em época espanhola, e moradias de aspecto propriamente espanhol ou estremenho, de tempos mais modernos.

 

"Sopa de pedra" (conto português)

AG, 06.06.08

Hoje, no jornáli 20 minutos, podemos ler o conto português da sopa de pedra. Mas vamos ver em português:

 

 

 

A Lenda

 

A Sopa da Pedra é uma especialidade de Almeirim. Conta-se que o primeiro homem a fazê-la foi um frade lambareiro e espertalhão...

Um frade andava no peditório. Chegou à porta de um lavrador, mas não lhe quiseram aí dar nada. O frade estava a cair de fome e disse:
- Vou ver se faço um caldinho de pedra.

Pág. 2/2