Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

ALÉM GUADIANA

Associação Além Guadiana (língua e cultura portuguesas em Olivença): Antigo Terreiro de Santo António, 13. E-06100 OLIVENÇA (Badajoz) / alemguadiana@hotmail.com / alemguadiana.com

ALÉM GUADIANA

Associação Além Guadiana (língua e cultura portuguesas em Olivença): Antigo Terreiro de Santo António, 13. E-06100 OLIVENÇA (Badajoz) / alemguadiana@hotmail.com / alemguadiana.com

Contadôri

Flag Counter

Além Guadiana na Casa do Alentejo: Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas

AG, 22.06.15

Caros irmãos alentejanos, bom dia.

IMG_20150610_135314_BURST001_COVER.jpg

Hoje, Olivença é mais possante ao estar mais próximo do Alentejo e da Portugalidade. A terra das oliveiras, Olivença, nunca esqueceu o seu passado e aproveitando o presente quer construir o futuro. Esse futuro passa, além de outras acções, pela confraternização com o espaço lusófono e principalmente com os nossos irmãos alentejanos.

 

Ser Alentejano é ser especial, ser Oliventino é também ser Alentejano.

Olivença “cheira” a Extremadura, mas também “cheira” a Alentejo e respira ar do Guadiana que não deixa de ser alentejano.

O sangue oliventino é sangue que navega entre duas culturas como o Guadiana e que se abraça ao espírito que o rodeia.

A associação cultural Além Guadiana, quer agradecer a nossa presença à Casa do Alentejo e a todos os presentes por nos ouvirem. Hoje não viemos a Lisboa, viemos ao Alentejo, quer seja Alto quer seja Baixo Alentejo.

Há sete anos nasceu uma associação com uma só finalidade: recuperar, preservar e promover a língua de Camões e a cultura lusitana para poder pertencer de pleno direito ao espaço lusófono.

IMG_20150610_135724_BURST001_COVER.jpg

Quando falamos de espaço, para alguns terá umas conotações provavelmente diferentes às da nossa associação. Mas queremos manifestar alto e claro que respeitamos todas as posições e interpretações. Além Guadiana não nasceu para se opor a nada nem a ninguém, nem sequer para opinar sobre determinadas considerações.

Somos apenas uma associação construtiva e o único espaço que nós temos vindo a reforçar são os espaços humanos e culturais.

Não esqueçamos nunca que são os Oliventinos os que irão decidir o seu futuro. Para poder construir não se deve ocultar informação ou desinformar. Além Guadiana não é o dono da verdade mas até agora tem sido a nossa verdade que tem conduzido Olivença a uma realidade. Essa realidade chama-se biculturalismo e esperemos que chegue ao bilinguismo real.

No processo de sensibilização tem sido a cultura a melhor vacina para cicatrizar as feridas do passado e a melhor medicina para não voltar a enfermar.

Somos uma terra de carácter e universal. Foram mães oliventinas que trouxeram ao mundo filhos que participaram nos primórdios da globalização, a expansão ultramarina. A terra das oliveiras marcou presença com a família Gama a oriente e Frei Henrique de Coimbra a ocidente.

O nosso património que é também vosso, património: monumental, histórico, linguístico, gastronómico, cultural e humano merece ser visitado. É de salientar o nosso rico património embora Olivença ofereça muito mais do que monumentos. O intangível, como diz o meu caro amigo e Presidente da associação Além Guadiana, Joaquim Fontes, em Olivença é mais importante o que não se vê do que propriamente se vê.

Só com a ajuda de todos é possível que Olivença continue a crescer.

Além Guadiana agradece ao estado português o carinho que nos dá ao tornar possível que os oliventinos, de livre vontade, possam reaver a sua identidade.

Caros irmãos portugueses, abraçamos-vos de lés-a-lés e especialmente aos irmãos alentejanos, em Olivença têm a vossa casa.

OLIVENÇA ESPERA-VOS.

E para concluir queremos exprimir que: nem todas as pessoas que vêm a Lisboa têm a mesma sorte que os oliventinos ao poderem repousar na sua sala de sua própria casa: a sala de Olivença na Casa do Alentejo. Agradecemos à Casa do Alentejo por manter a chama viva de Olivença.

Vamos trabalhar conjuntamente com a Câmara Municipal de Olivença para o ano que vem podermos marcar presença no aniversário da Casa do Alentejo.

Aproveitando que hoje, 10 de Junho, é dia das comunidades portuguesas e dia de Camões ponderamos que um poema do universal poeta exprime muito bem a Olivença de hoje.

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,

Muda-se o ser, muda-se a confiança:

Todo o mundo é composto de mudança,

Tomando sempre novas qualidades.

Luís de Camões

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.